sábado, 29 de dezembro de 2012

Primeiro Cardápio de 2013: Peça antes do ano acabar!

Queridos clientes, olha só o primeiro cardápio para 2013.

Escolha agora, na paz das férias, e garanta a chegada de seus pratinhos no domingo dia 6 ou na segunda-feira, dia 7. Além de me ajudarem a começara a cozinhar o quanto antes e preparar tudo no melhor estilo com carinho!

Tem um monte de coisa nova, olhem aí e eu espero daqui!

beijinhos a todos,

Nanda


- Bolinho alemão, arroz integral e purê de batata ao alho
( Bolinho de carne moída assado e temperado à base de molho inglês e cheiro-verde. Arroz integral e purê de batatas aromatizado com alho)

- Frango ao molho de cogumelos, batata doce no alecrim e acelga refogada
( Pedaços de frango envolvidas em molho de cogumelo acompanhada de batata doce feita no alecrim e acelga refogada na cebolinha)

- Filé de frango com molho de abóbora, couve-flor refogada e ervilhas frescas
( O temperadinho filé de frango Danada da Nanda com molho de abóbora acompanhado de couve-flor e ervilhas frescas)

- Moqueca de peixe, arroz branco e brócolis
( Pedaços de cação com pimentos e tomates, arroz branco e brócolis refogado)

- Berinjela recheada, arroz integral com castanhas e feijão branco
( Berinjela com sua própria polpa preparada com tomate, cebola, alho e ovos cozidos. Arroz integral e feijão branco acompanham)

- Carninha moída lá de casa com abobrinha ao curry, arroz integral e feijão preto
( Porque ela não pode faltar nunca!)

- Feijoadinha Light
( Idem ao item anterior!)

- Picadinho de soja com cenoura, arroz integral e creme de milho com queijo
( Soja bem temperada ao molho de tomate e pedacinhos de cenoura, arroz integral e creme de milho com queijo)

- Lasanha de abobrinha – molho vermelho

- Lasanha de Soja Bolonhesa – molho vermelho


Quilins

- Quilim de Estrogonofe de Carne ( R$30)


- Quilim de Feijoada Light (R$22)


- Quilim de Lasanha de Berinjela (R$22)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Comi na Rua: Um passeio para o café da manhã


      Curtir a cidade na qual se mora é andar por aí a desfrutar seus sabores, novos ou muito velhos, como o quase centenário sabor do pão de água da Padaria do Gonçalo, no antiquíssimo bairro da Vila Hortência, quase no coração da terra rasgada. Na manhã da última sexta-feira de 2012, parei por lá e me rendi ao encanto de sua atmosfera romântica e fui logo escolhendo um pão com manteiga e ganhei de presente do meu irmão uma chipa toda crocante por fora e macia por dentro.

                   Pão de água com manteiga e chipa de queijo: tudo ao mesmo tempo e irresistível

      A padaria por si só é um evento. Seus azulejos de longa data, seu piso com traços do bom gosto do passado e a decoração simplista e original dão espaço para o que realmente deve ser visto: as delícias da padaria ali localizada há 90 anos. Fundada por Gonzalo Vecina a padaria esteve sob o controle de Cláudio Haro nos últimos 52 anos. Hoje está sob o controle dos primos Jean Saliba Neto, 31, e de José Renato Nóbrega, 27.

                                                       Charme em clima romântico para um bom café da manhã

Mas é literalmente das mãos do “Tio” Celso que vêm todas as gostosuras da casa. Irmão do segundo dono, Celso Haro está no comando da produção há 50 anos. Ou seja, quem há muito não passa por lá pode voltar pois a receita e o produtor é o mesmo. E isso, sem dúvida, é a maior riqueza do local.

Tudo em família -  A bisavó de Jean e José Renato já era amiga da família de Cláudio Haro há longa data. Não é  a toa que o chefe da produção não é apenas Celso. “É tio Celso”, frisa com o maior carinho Jean. “Quando soubemos do fechamento da padaria, por motivos particulares da família, logo pedimos para tocar o negócio.” E assim foi.

Isso já faz seis meses. Os negócios vão de vento em popa. Quase satisfeita avistei os sonhos saindo da produção com seu creme amarelinho tinindo. Pedi um e...realmente, ele fez jus ao nome: um sonho de Sonho. Para completar a peripécia uma tubaína de garrafinha.

Para completar o passeio ainda fui convidada a conhecer o tal forno de uns 20m2, vindo da Itália há mais de oito décadas e mantido aceso 24h por dia ininterruptamente. E assim é tudo por lá, tudo grandioso! Grandiosamente emocionante, simples, histórico, saboroso e curioso.

                                           
                                                            A boca do enorme forno e os pães em seu interior

Fica ali no comecinho da Avenida Nogueira Padilha, logo no segundo quarteirão de quem sobe, ao seu lado esquerdo. Padaria do Gonçalo, guarde este nome e marque uma passadinha com os amigos por ali para um café, um pãozinho e não se esqueça de levar um sonho para casa.

Continha

Pão de água com manteiga: R$1,50
Sonho:  R$2,50
Café Expresso: R$2,00
Tubaína de Garrafinha: R$2,00
Total: R$8,00

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Comi na Rua: Amauri Lanches, chique de bom!


Da imensa vontade de um belo x-salada conheci o Amauri Lanches. Ser quase nova na cidade é assim: acreditamos e apostamos em tudo. E lá fomos, eu e o marido Bill, para aquele trailler vermelho coberto por telhas de barro sustentadas por toras de madeira, comer nosso lanche do almoço, logo ali no final da Avenida Armando Pannunzio, sentido Salto, em Sorocaba. Um X-Salada, um X-Calabresa, duas cocas de garrafinha de vidro e estupidamente geladas, uma esfiha de frango e um ótimo papo com o Seu Amauri, que gentilmente emprestou seu nome para o empreendimento: Amauri Lanches.



É sabido por muitos o fato de cozinheiros se deliciarem de modo mais e mais apurado ao degustarem comidinhas feitas por outros que não eles próprios. Além de, para os mais humildes, ser sempre uma nova lição de gastronomia, poder comer sem colocar a mão na faca também é delicioso. E é isso que adoro fazer quando não estou na cozinha, comer comidinhas dos outros. E na rua, de preferência. Disso será recheada a coluna Comi Na Rua, aqui na Danada da Nanda Comidinhas.

A ideia era antiga e depois de conhecer o Seu Amauri, sua história e simpatia, ah, a ideia amadureceu. Quando o sanduba chegou, todo redondinho, sem uma folha de alface se dependurando, a ideia se firmou. Este senhor de 52 anos é pai de dois moços e uma moça. Ao ficar desempregado na década de 80, montou um carrinho de caldo de cana ali em frente à fábrica da Alpargatas, à beira da rodovia, e por lá cresceu durante 16 anos. Mas veio o DER - Departamento de Estradas e Rodagens - e tirou todo mundo de lá.



Ele não se apertou, foi tentar a vida em Vans, transporte escolar...Difícil mesmo era a saudade dos transeuntes, dos passageiros de seu balcão, do feitio e preparos de alimentos e mimos. Sim, mimos, pois seja qual for o produto oferecido a sua receita é sempre a mesma: carinho e prazer em servir alimentos saborosos para sua clientela. "Não me preocupo com o luxo e sim com a satisfação de quem para aqui para comer", conta Amauri. "Aprendi com a minha mãe a fazer de uma abóbora um verdadeiro rodízio, e dos melhores".

E lá é assim, seu trailler tem três opções de lanche: X-Salada, X-Calabresa e Frangão. O primeiro segue a descrição clássica de pão, maionese ( que para mim tinha um bom toque de alho), alface, tomates, queijo e hambúrguer. O X-Calabresa tem tudo isso e MAIS a calabresa raladinha e passada na chapa. Já o frangão tem frango desfiado no lugar dos hambúrgueres. Na vitrine, esfihas, espetinhos e quibinhos ficam a te fazer água na boca.

Os preços são bem bacanas. Cada lanche sai por R$7 e os salgados por R$3. A higiene é de ponta, tudo bem limpinho e o tempero...ah, estes vocês podem conferir por lá mesmo de segunda a sábado em horário comercial.

E você, tem alguma dica? Conte-me, vou adorar ir lá conferir.

Até a próxima guloseima,

Nanda


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Último cardápio do ano Danada da Nanda Comidinhas



Clientela, ATENÇÃO: este é o último cardápio do ano!

Portanto, SÓ  delícias para você fazer o seu ESTOQUE de final de ano.

Depois desta entrega, SÓ em 6 de janeiro de 2012!

Tem Quilim de Feijoada e Quilim de Lasanha por R$22 cada!

Vamos nessa:



- Nhoque Olha Só
( Bolinhas de batata com molho de abóbora, alho-poró e requeijão salpicado por calabresa defumada)

- Bacalhau cremoso, arroz integral e brócolis refogado
(Peixe desfiado em creme branco e creme de leite light, arroz integral e brócolis temperado)

- Quiche de espinafre com queijo, arroz integral e creme de milho
( Tortinha de massa integral com recheio de ovos, queijo e espinafre. Acompanha arroz integral e creme de milho amarelinho)

- Estrogonofe de carne, arroz integral e batatinhas smille

- Frango a parmegiana, arroz integral e purê de batatas
( Frango falsamente empanado coberto com molho de tomate e queijo. Acompanhado de arroz integral e purê de batatas)

- Quibe, arroz integral e pasta de grão-de-bico
( Massa de carne bovina e trigo temperada com limão e especiarias árabes. Arroz integral e pasta de grão-de-bico com alho acompanham)

- Yakisoba de Vegetais
( Massa japonesa com molho oriental e legumes refogados)

 - Frango ao curry e mel, arroz integral e escarola refogada
( Coxa e sobrecoxa desossadas no molho de curry e mel, arroz integral e escarola caramelizada )

Quilins

- Feijoada Light

- Lasanha de presunto e queijo com tomate fresco

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Historinha de dar água na boca



E desta vez o personagem é um dos pratos que acredito serem gosto de 95% das pessoas que conheço! Esta seman, colocar estrogonofe de carne no cardápio do Danada Da Nanda foi motivo para choverem pedidos duplos de estrogonofe ou ainda aqueles que andaram sumidos pedindo o tal mais mais da lista! Precisei fazer dose dupla se comparado aos demais pratos.

E foi uma delícia fazer este estrogonofe em especial. O motivo: uma das clientes relutou em pedir o tal do cardápio por não se dar muito bem com leite e seus derivados. Hummmmm...poxa, mas ela vai ficar sem estrogonofe. Tudo bem que talvez ela nem faça parte dos 95% das pessoas que conheço que gostam de pedacinhos suculentos de carninhas envolvidos em um molhinho curtido na dita já frita e regada a molho inglês. Mas, mesmo assim, resolvi tentar algo que agradasse a todos, inclusive e especialmente a quem não goste, possa ou queira derivados de leite.

E foi nesta experiência que realizei um desejo a muito esperado: a cor ideal para o meu estrognofe. Quem pediu poderá entender um pouco melhor este post e quem não viu poderá vislumbrar os pigmentos coloridos deste relato em uma foto a ser reproduzida assim que eu achar meu cabo e baixar a dita imagem.

A cor: marrom com base no fundinho de panela criado quando se "frita" a carne somado ao vermelho do cat chup - sim, uso cat chup como minha mãe ensinou - e uma escuridão vinda do molho inglês. Acredito piamente que ficou uma cor de ferrugem maravilhosa. Mas ferrugem mesmo, velha, curtida, forte, naquele estado avançado em que o laranja já passou e o vermelho solta apenas quando se molha algo enferrujado.

O original da vovó

A receita do melhor estrogonofe do mundo, e da minha vida, é o da minha mãe Tetê que sempre conta copiar a receita de minha falecida avó, Celina. E o dia que descobri que outras pessoas fazem estrogonofe com molho de tomate eu quase não acreditei. Só não é pior de quando chutam o balde e colocam logo uma latinha de molho de tomate já temperado...mas enfim, voltemos ao da minha avó, mas sendo este o legítimo dela, não o do Danada Da Nanda:

Coloque sua carne já picadinha em uma panela e deixe que ela solte seu caldo. Vá retirando este caldo até secar os filézinhos. Mantenha este suco em um recipiente, junte água quente e um tablete de caldo de carne. Os filézinhos devem ser fritos em manteiga e cebola, muita manteiga e muita cebola. Frite, frite, frite. Já formou aquele fundinho marrom? Ótimo: jogue molho inglês e cat chup em medidas iguais, misture, esquente aquele cado da carne com caldo de carne e água e mande ver em cima dos filézinhos. Misture bem, abaixe o fogo, deixe ali apurando até a água reduzir pela metade. Preencha com um copo de leite. Engrosse com quanto bastar de maisena. Feche com o creme de leite. Prove, corrija o sal, tire o arroz da panela vizinha, abra o saco de batata frita e ... hum, coma muito!

A receita do Danada Da Nanda

Como muiiita manteiga e creme de leite não fazem parte do mundo de nossa comidinha do dia-a-dia, fiz nosso estrogonofe sem um nem o outro e sem o leite. A carne foi para panela com a cebola e ficou com seu caldo. Não escorri seu caldo e quando estava quaaase secando: molho inglês, cat chup e caldo de carne bem quente. 45 minutos de fogo baixo. Uma engrossadinha e uns toques em temperos e lá estava ele, lindo, gritante, com uma cor maravilhosa olhando para mim.
A tentação de jogar um pouquinho de creme de leite foi vencida assim que provei seu sabor: adorável!

Resultados

- escrevi oferecendo a experiência para a cliente que me inspirou e ela aceitou o desafio. Espero o resultado na próxima semana.

- e por mais que eu tenha mexido aqui e ali ainda acho as combinações do estrogonofe da minha mãe uma maravilha!

- de novo fiz a conta certa e não deixei nada para mim!

- e o mote do post: não colocar leite e nem creme de leite me levaram ao tão esperado resultado da cor do meu estrogonofe!


um beijo a todos

Nanda

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Novidade de Peso



Elas chegaram: 
as porções Danada da Nanda para duas ou mais pessoas. 
Isso depende da garfada de cada um.

A feijoada vai sozinha, leve e completa! 
Um quilo de puro prazer.
 A porção custa R$22 e continua congelada e em embalagem que também vai ao freezer e ao microondas.

Perfeita para ter no freezer e te salvar em um dia de visita inesperada ou porque não aquela já planejada?

Nesta primeira semana deixo à disposição a 
FEIJOADA e o ESTROGONOFE DE FRANGO.
Ambas com um quilo e pelos mesmos R$22.

Delícia demais da conta, não é?

Peça a sua e receba na próxima entrega. Um, dois, três e já!!!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Cardápio Danada da Nanda de 10 a 14 de dezembro



Esta semana tem prato especial com precinho diferenciado mas bem justo: é o Salmão Negro. Ele é assado já envolto em um caramelo de vinagre balsâmico temperado com limão. Leve e muito saudável ele vai acompanhado de arroz integral e seleta de legumes com avelãs. Cada pratinho de Salmão sai por R$17.

Os demais pratos, não menos deliciosos, continuam por R$14.

Deliciem-se, peçam logo o seu!

Boa semana,


Nanda

Salmão Negro, arroz integral e seleta de legumes com avelãs (R$17)
( Posta de salmão assada na redução de vinagre balsâmico com limão, arroz integral e seletinha de legumes com deliciosas avelãs torradas)

Fricassê de frango, arroz integral e batatinha smille
(Peito de frango desfiado em meio a um delicioso molho cremoso com milho. Arroz integral e batatinhas sorridentes)

Feijão Danado de Bom, arroz integral e escarola refogada
(Feijão branco feito com abóbora, pimenta e calabresa defumada. Arroz integral e escarola caramelizada)

Almôndegas Vermelhas, arroz integral e ervilhas frescas temperadas
( Almôndegas de carne bovina no molho de tomate, arroz integral e ervilhas frescas aceboladas)

Frango com Quiabo, arroz integral e polentinha especial
(Pedacinhos de frango no refogado de tomate e quiabo, arroz integral e creme de polenta com queijo)

Bife de panela, arroz integral e abobrinha de alho
(Bife de carne bovina coberto com seu próprio molho acompanhado de arroz integral e abobrinha feita no alho)

Lasanha de brócolis orgânico
(Sequência de massa, molho branco, brócolis temperado, muçarela, massa, molho...)

Lasanha bolonhesa
( Sequência de massa, molho vermelho, carne moída, muçarela, massa, molho...)

Cuscus de colher
( Irrestível creme de farinha de milho temperado por caldo de frango natural, frango desfiado, ervilhas frescas, pedacinhos de tomate, cebola, cheiro verde e um toque de queijo)

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Macarrão com frango de padoca para seu domingo!




      Domingo é dia de macarrão com frango, certo¿ Para mim, qualquer dia é dia de macarrão com frango. Adoro esta mistura pitoresca e aposto de olhos fechados em suas curiosas variações. Ela pode ser desde um molho bolonhesa para a massa e um filé de frango ou até um molho e tomates frescos com alcaparras e um frango no mel. Encanta-me o frango de padoca com espaguete.

      E é este último que compartilho com vocês a receita e modo de preparo. Sempre me indaguei a respeito daquele gosto tão próprio dos frangos de televisão capazes de enlouquecer qualquer cidadão mesmo às nove horas da manhã de um domingo, hora ainda do café. Fui então a campo pesquisar e descobri com um dono de padaria o segredo de seu tempero: pimentão. Seu uso deve ser moderado mas sem ele não há sucesso, nesta área, alcançado. Vinho branco seco sem qualidade também é essencial.

      Para simplificar seu feitio, visto sermos mulheres modernas e atarefadas, escolha o frango em pedaços, coxas, sobrecoxas e peito de frango sem osso mas não em filé. Para seis pessoas bastam dois pedaços de cada dos acima referidos. E como frango absorve facilmente os temperos é possível pré-preparar na manhã do dia santo.

      Mande para o liquidificador uma cebola bem grande e descascada, meio pimentão verde pequeno e sem sementes, dois copos de vinho branco e seco, uma colher de sopa cheia de orégano, outra igual cheia de cheiro-verde picado, uma colher de chá de sal e outra igual mas pela metade de pimenta-do-reino. Bata tudo e derrube por cima da carne e misture de forma que envolva tudo igualmente.

      O mais gostoso da receita é poder aproveitar a manhã toda de domingo sem nem se preocupar com o restante do almoço. Tendo a massa na dispensa e uma boa polpa de tomate é sinônimo de estar quase tudo pronto. Aproveite para ler as revistas semanais, tomar aquele sol e passear com os cachorros.

      Tome aquele delicioso banho demorado, passe todos seus cremes e coloque o papo em dia com o companheiro. Acenda o forno, abra seu vinho, sirva-se e ligue o som. Dez minutos depois, coloque o frango para assar em um refratário devidamente coberto com papel alumínio.

      Enquanto isso, bata meia cebola no liquidificador com um punhado de manjericão fresco, uma boa pitada de sal e outra generosa de nós-moscada. Mande ao fogo e ferva por dez minutos. Pode deixar cair um golpinho de vinho daquele que serviu em sua taça para poder incrementar o sabor. O molho está pronto e sem nada de gordura, percebeu¿

      Ligue para os convidados e peça um pão italiano para um e uma sardela para o outro. Tire sua manteiga predileta da geladeira e não esqueça de ter um bom parmesão os dois momentos.

      Quarenta minutos depois do frango ir ao forno retire o papel alumínio e deixe que o mesmo core por uns 15 minutos. Enquanto isso cozinhe sua massa, esquente o molho e chame todos para a mesa. Sirva um por um decorando o prato com mais uma folhinha de manjericão. Seu frango de padoca ganhará muitos fãs e você, sem dúvida, alguns bons elogios.

Para o frango:

12 pedaços de frango
1 cebola grande
Meio pimentão sem sementes
2 copos de vinho branco e seco
1 colher de sopa de orégano
1 colher de sopa de cheiro-verde
1 colher de café de sal
Meia colher de café de pimenta-do-reino

Para o molho:
1,5 l de polpa de tomate
1 cebola grande
Meio maço de manjericão
1 pitada generosa de nós-moscada
Sal

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Cuscuz de colher, você quer?




Prato e sabor únicos: cuscuz de colher

Acreditando na gastronomia como entretenimento de alta complexidade estou sempre pensando em pratos capazes de despertar a curiosidade dos amigos e ao mesmo tempo desafiar o piloto do fogão. O cuscuz mole de colher é um destes pratos. Perfeito para um sábado de inverno, vai muito bem com uma tábua de queijos e algumas taças de vinho tinto. E na farra tudo pode ser misturado no final.

O segredo para um bom cuscuz de colher é o caldo a ser utilizado para seu feitio. Claro, é possível utilizar aqueles prontos mas o sabor do natural é incomparável. E para ter o seu basta colocar um peito de frango com osso na panela sob o fogo baixo do fogão. Deixe a pele virada para baixo pois com sua gordura será frita a carne junto a duas cebolas médias descascadas e cortadas ao meio, assim como as duas cenouras bem grandes. Coloque também dois talos de salsão, um ramo de alecrim, quatro sementes de pimenta-do-reino e dois tomates maduros partidos ao meio. Sal.

Deixe seu caldo ferver por duas horas em fogo baixo e sem tampar a panela mas quando completar os primeiros 60 minutos preencha a panela com a água que já evaporou.

Isso tudo você pode fazer na parte da manhã enquanto muda as flores do vaso, tira as taças mais bacanudas e monta aquela sala capaz de manter todos aconchegados por uma tarde toda. Corte os pães, disponha os queijos em porções, faça uns patezinhos e torre uns pãezinhos com manteiga e alho.

Deixe tudo pronto para o prato principal: meio maço de cheiro verde picado, 200 gramas de palmito picado, o conteúdo de uma lata de milho escorrido, 100 gramas de ervilhas frescas pré-cozidas.

Coe o caldo pronto. Bata os ingredientes do caldo junto com um pouco de água e volte para a panela. Com muita paciência vá despejando o fubá fino nesta panela e misturando com um fouet, de preferência. A paciência toda é necessária pois se despejar tudo de uma vez vai empelotar e dar uma trabalheira para recuperar. A quantidade de fubá será a metade utilizada na receita normal de cuscuz. Quando estiver um creme bem do cremoso já pode despejar o palmito, o milho, a ervilha e o cheiro verde. Eu jogo um tico de vinho tinto mesmo e acabo de temperar com sal e pimenta calabresa.

Grand finale para quem não quer economizar caloria: coloque pedacinhos de queijo brie no fundo de um refratário e adicione uma bela colherada de manteiga na massa do cuscuz. Despeje o conteúdo da panela no refratário, salpique queijo parmesão ralado e mande gratinar no forno.

Grand finale 2: coloque duas colheres de açúcar com duas de água no fundo da panela e quando aquecer passe um maço de couve picada por ali. Escorra o excesso de líquido e sirva pequenas porções sob o cuscus na hora de servir.

Potinhos em mãos, sirva os amigos e corra para o sofá para finalizar o papo e ganhar seus elogios!


Ingredientes:

2 litros de água
250g de fubá fino ( ou preparo pronto para polentas )
1 peito de frango
2 cebolas grandes
2 cenouras grandes
2 talos de salsão
2 tomates
4 sementes de pimenta-do-reino
1 vidro de palmito
1 lata de milho
100 g de ervilhas frescas

Opcional: 1 colher farta de manteiga e 150g de queijo brie

Cardápio Danada da Nanda de 3 a 7 de dezembro


Ela está de volta: a lasanha de salmão. Os pedidos foram tantos que ela voltou rapidão.
E o trio de escondidinhos sai por um precinho especial: R$36.
Bora nessa?
beijocas
felicidades
Nanda


- Lasanha de salmão com champignon
( Sequência de massa, molho branco, salmão refogado com champignon, e muçarela.)

- Panquecão de carne, arroz integral e creme de cenoura com queijo
( Massa integral recheada com carninha moída e ovos cozidos, coberta com molho de tomate e queijo. Arroz integral e creme de cenoura)

- Feijoadinha Light
(Tudo de bom, é o que tenho a descrever)

- Frango de padoca, arroz integral e abobrinha especial
(Frango com gostinho de domingo, arroz integral e abobrinha com toque de erva-doce)

- Iscas com Gorgonzola, arroz integral e batidinho de brócolis
(Pedaços de carne bovina no molho de queijo gorgonzola, arroz integral e batidinho de brócolis com cebola)


- Carninha moída “lá de casa” com cenoura, arroz integral e feijão
(O queridinho dos clientes Danada da Nanda!)

- Frango Parmegiana, arroz integral e batatinha smille
(Frango falsamente empanado e coberto com molho de tomate e queijo. Arroz integral e batatinhas sorridentes acompanham)

- Pernil louco, arroz integral e milho cremoso
(Desfiadinho de carne de porco feito na cebola e vinho branco, arroz integral e milho refogado com cheiro verde e requeijão)


- Escondidinho de Frango com Requeijão

- Escondidinho de Carne Seca Acebolada

- Escondidinho e Escarola com Queijo

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Lasanha Bolonhesa de Soja: boa de regime

                                          foto: divulgação


Superando todas as expectativas, a lasanha de soja bolonhesa é a grande surpresa dentre as opções de pratos escolhidas pela clientela em busca de pratos saudáveis. A soja, em si, não é muito bem vinda. Mas a lasanha feita com o molho no qual a proteína texturizada de soja substitui a carne bovina moída tem feito sucesso total.

E acho isso muito bacana pois como não utilizo gordura para sua cocção isso deixa a tarefa ainda mais merecedora de atenção. Quando refogada em azeite e manteiga a proteína de soja absorve estes sabores, ganha textura e chega até a ser chamada de carne por atingir um paladar aproximado ao de carne.

Sem este artifício delicioso, como fazer¿

Começo por uma boa lavada na PTS. Quando a água que dela escorrer estiver cristalina é hora de parar. Deixar a soja de molho em água com limão por meia hora é um bom truque caso tenha tempo e queira se livrar ao máximo do gosto natural do produto. Segundo passo: para 500 g utilize 1 litro de água e dois saquinhos de caldo de legumes sem gordura. Deixe de molho, assim como o trigo do quibe, por duas horas.

Enquanto isso, bata no liquidificador uma cenoura grande e crua junto a uma cebola grande devidamente descascadas e picada. Junte um talo de salsão, uma colher de café de cominho, outra de nós-moscada, quatro caixinhas de polpa de tomate, 200 ml de água e sal.

Voltando à soja, é hora de escorrê-la. Logo após, junte-a ao molho de tomate vitaminado que está no liquidificador dentro de uma panela e deixe ferver por meia hora. Tempere com um maço de cheiro-verde picado.

Daí por diante não há mais segredo, apenas surpresas. Monte a sua lasanha com camadas de massa pré-pronta, outra de molho, outra de muçarela fatiada, outra de massa...e assim por diante. Cubra com queijo parmesão ralado e mande para o forno por 25 minutos.

A soja alimenta e dá uma enorme sensação de saciedade e não possui gordura saturada e uma xícara de chá tem apenas 139 kcal. Bem temperada, substitui muito bem a carne e com o queijo e a massa deixarão sua refeição leve e sem aquela cara enjoada de regime.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Cardápio Danada da Nanda de 26 a 30 de novembro



Para esta segunda entre feriados, um cardápio de fazer festa!

O trio é de nhoque! Nhami. Confiram os sabores.
Quem pedir UM DE CADA paga R$12 a unidade.
Logo, o trio sai por R$36.

Uma boa semana a todos nós,
Felicidades

Beijinhos

Nanda

Estrogonofe de frango, arroz integral e batatinha smille
(Dispensa apresentações)

Carninha desfiada, arroz com cenoura e feijão
(Carninha em seu próprio molho, arroz com cenoura em cubinhos e feijão danado de bom)

Feijoadinha branca, arroz integral e couve refogada
(Feijioadinha Danada da Nanda feita com feijão branco e seus tradicionais acompanhamentos)

Filé de frango com creme de milho, arroz integral e brócolis refogado
(Sarado filé de frango coberto com creme de milho, arroz integral e brócolis para acompanhar)

Hambúrguer acebolado, purê de batatas com queijo e seleta de legumes
(120g de carne moída coberta com acebolado temperado, purê de batatas com queijo e seleta de legumes refogada)

Tortinha integral de legumes com queijo, arroz integral e creme de cenoura
(Torta feita com farinha integral, arroz integral e creme de cenoura)

Trio de Nhoques:

Nhoque Olha Só
(Bolinhas de batatas cobertas com molho de abóbora, alho poró, requeijão light e pedacinhos de linguiça calabresa defumada)

Nhoque Eu Já Sabia
(Bolinhas de batata com molho bolonhesa Danada da Nanda)

Nhoque Te Quiero
(Bolinhas de batatas com molho branco de requeijão light, blanquet de peito de frango e ervilhas frescas)

Potinho de feijão

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Cardápio Danada da Nanda de 19 a 23 de novembro



Ah, segunda-feira de chuvinha. Deliciosamente inspiradora para escolher os pratinhos para semana pós-feriado.

Aviso aos navegantes: a maioria absoluta escolheu pela próxima entrega no domingo e segunda-feira próximos, normalmente. Ok?

Sem mais flores e com muito mais sabores, aí vão as opções da próxima semana:

Carninha desfiada com batata doce, arroz integral e cenoura picante
( Delicadamente desfiada, a carninha serve seu molho para o cozimento dos pedacinhos de batata doce. Arroz integral e cenoura levemente picante e bem temperada acompanham)

Frango de roça, arroz integral e legumes cozidos
(Pedaços de peito de frango com gostinho e molho de roça acompanhados de arroz integral e legumes cozidos e refogados em especiarias gerais.)

Feijoadinha light
(Feijão preto feito com pernil e calabresa defumada. Arroz integral e couve acompanham)

Carninha moída “lá de casa”, abobrinha refogada, arroz integral e feijão preto
(Dispensa apresentações o nosso campeão de vendas!)

Arroz de forno – Versão ragu de calabresa
( Arroz integral coberto com creme de abóbora, pedacinhos de queijo e ragu de calabresa)

Filé de frango Danado, arroz integral e brócolis refogado
( Filé de frango coberto com creme de cebola e maionese light, arroz integral e brócolis aromatizado)

Pernil louco, arroz integral e tomatinho recheado
(Carne de pernil no melhor estilo “festinha de criança”, arroz integral e tomatinho recheado com ricota temperada)


Fusilli integral ao molho de brócolis e queijo
(Massa integral com molho branco, brócolis e queijo)

Fusilli integral ao Sugo Verde
(Massa integral regada a molho de tomate com alcaparras e castanhas)

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

tsssssssss, bife!!!!


Dias desses recebi um email, de uma querida cliente, pedindo dicas de como fritar bife, de preferência daquele com cortes altos, sem usar gordura. Rapidinho mandei duas dicas de como fazer carnes sem espalhar gordura pela cozinha e nem perder aquele gostinho de que só os bifes podem nos dar. E acho que todos podem tentar fazer o seu. E um dica pessoal: bife merece apenas sal, quiçá uma pimentinha do reino e ponto. Ele por si só se garante.

Vamos lá?


1) Se for fazer um bife mais alto, você pode colocá-lo em uma frigideira com um pouco de água no fundo. Tampe-a e deixe o bife por ali até a água secar e ele começar a "fritar" no calor por mais ou menos um minuto. Quando perceber o sangue da carne surgindo por cima do bife é hora de virar a carne. Vire e deixe por mais dois minutos mas ainda com a tampa. Se achar que a carne ainda não cozinhou o suficiente, despeje um pouco de água quente ao redor do seu bife. Esta água vai soltar aquela borra que a carne faz na frigideira e conceder o sabor de fritura natural à sua carne.
Mas lembre-se: nunca jogue água fria em uma carne quente pois ela virará uma borrachinha.
E nunca vire o bife mais que duas vezes pois isso acaba endurecendo a carne também

2) Uma outra carne bem fácil de fazer é na panela de pressão! Gosto de colocar alcatra em peça inteira. E é só colocar a peça direto na panela, salgar a gosto e fechar a mesma. Coloque no fogo baixo e conte 20 minutos depois que pegar a pressão. Tire a pressão, abra a panela e fatie a carne na altura que quiser. Veja se já está no ponto de cozimento que quer. Caso não, volte mais um tempo, uns 5 minutos. Caso sim, basta voltar a panela ao fogo e misturar a carne ao caldinho que ficou por ali.
Você pode incrementar colocando cebola, alho, ervas, cheiro verde ou temperos ao seu gosto.


Espero que apreciem e me contem como ficou.

beijinhos

Nanda

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Cardápio de 12 a 14 de novembro




E como feriado combina com coisa boa, aí vai um cardápio para acompanhar o clima.

Tem lasanha com salmão e shimeji e a tradicional lasanha de presunto e queijo ganhou cobertor novo e tem como última camada um irresistível molho de requeijão. Quem pedir as 3 paga apenas R$12 a unidade.

Quero ver quem vai resistir.
Vamos nessa?
Saborosa semana a todos vocês,

Nanda

- Filé de frango a parmegiana, arroz integral e batatinha smille
(Empanado e assado, o filé de frango recebe um banho de molho de tomate e uma chuva de muçarela ralada. Arroz integral e batatinhas sorridentes acompanham)

- Carninha desfiada com mandioquinha, arroz integral e feijão
(Mimosamente desfiada, a carninha segue com seu molho e pedacinhos de mandioquinha, arroz integral e feijão “lá de casa”)

- Panqueca de frango, arroz integral e creme de milho
(Massa integral recheada com franguinho desfiado bem temperado, arroz integral e creme de milho com queijo)

- Quibe, pasta de grão-de-bico e babaganuche
(Regado a suco de limão, o quibe Danada da Nanda vem com pasta de grão-de-bico ao alho e pasta de berinjela com creme de gergelim)



- Lasanha de salmão com shimeji
(Sequência de massa, molho branco, salmão refogadinho, cebolinha, shimeji e requeijão)

- Lasanha de legumes
(Sequência de massa, legumes refogados, molho vermelho e muçarela)


- Lasanha de presunto e queijo – molho extra de requeijão
(Sequência de massa, molho de tomate, presunto, queijo e molho de requeijão)

domingo, 4 de novembro de 2012

Gente Danada: meu braço direito, a Virgi!



    A mil por hora anda esta moça nascida na Bahia que se criou no Rio de Janeiro e hoje solidifica sua vida nas Serras de Araçoiaba. Ao lado da primogênita Naiade e na caçula Deirdre, Virgínia, 45 anos leva a vida correndo adoidado pois tem sede de viver. Generosamente, ela dedica três de seus dias da semana para me ajudar na Danada da Nanda Comidinhas. Fazendo o que? Tudo! Simplesmente tudo.

    Virgi, como delicadamente a chamo, é fonte inspiradora de diversos jargões: é pau para toda obra, é mais que uma funcionária é uma amiga, é um furacão em suas funções e tem coração de mãe pois sempre tem carinho para mais um. Quando esbraveja é só esperar um tempinho que logo seu coração fala mais alto, ela repensa, e pacifica a situação.

    Não deixa ninguém na mão. Enquanto sua colega não terminar o trabalho ela não tira o avental para ir embora. Ajuda nos “finalmentes”, como costuma dizer, e só quando o bolo está para desenformar é que voa para seu ninho mas não sem antes pegar o Gi ( seu genro queridinho ) pelo caminho e vai aninhar todos em casa.

    E outro dia, inocentemente, ela se surpreendeu ao me ver lavando panelas, varrendo o chão e ajudando-a nos seus “finalmentes”. Elogiou-me como “patroa” bacanuda dando uma força no trabalho pesado...tsc, tsc, mal entendeu ela que naquele momento eu apenas tentava reproduzir estar porção de bondade e generosidade por ela apresentada semanalmente em nossa cozinha.

    E é isso aí: esta é a Virgi, nossa Gente Danada da vez, responsável por me ajudar a picar, temperar e servir cada uma das marmitinhas de vocês. Guerreira, batalhadora, vencedora e merecedora de todos elogios, incentivos e felicitações. Virgi, sou sua fã.

                                                                      Beijinhos, Nanda!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Receita Mineira para A mineira! Filé mignon suíno ao vinho verde




Não foi a toa que a primeira pessoa me pedir a receita do filé mignon suíno ao vinho verde com batatas e couve doce foi a divina Fernanda Carneiro, também conhecida como mãe de Max. Esta mineira é um pouco responsável por minha paixão pelas Minas Gerais pois desde pequena somos amigas e desde então ela representou seu estado com todo amor que ele guarda em suas entranhas montanhosas. Um prato com inspirações mineiras para minha diva mineira!

Ferdi, esta é para você!

 Peça ao seu açougueiro a bondade de cortar em escalopes 1 quilo de filé mignon suíno. Enquanto ele o faz, passe num mercado gostoso e pegue uma garrafa de vinho verde, 5 batatas das grandes e um maço de couve. Caso não tenha em casa, guarneça o carrinho com 1 cebola grande, 1 cenoura média, pimenta-do-reino branca, nós-moscada, alecrim, cominho, sal, açúcar.

De volta para casa, bata no liquidificador a cebola e a cenoura devidamente descascadas com um copo de vinho verde, uma colher de chá de cominho, outra de nós-moscada e uma bela pitada da pimenta-do-reino branca. Sal a gosto é algo muito antipático de dizer mas redime qualquer cozinheiro de errar na medida certa. Eu arrisco aqui uma colher de chá cheia de sal. Coloque o resto do vinho para gelar.

Misture tudo aos escalopes e deixe marinar por pelo menos uma hora. Neste meio tempo, pique a couve da forma que for mais fácil. Eu gosto de, nesta receita, cortar ela bem grosseiramente para peder a cara de acompanhamento de feijoada. No outro meio tempo, descasque as batatas e corte-as em rodelas grossas, de mais ou menos um dedo de altura.

Volte para o filé mignon suíno já com uma boa panela disposta no fogo médio de seu fogão. Boa panela para mim é panela de fundo grosso mas não necessariamente de ferro. Disponha a carne uma ao lado da outra deixando o marinado para trás. Tampe a panela e deixe ali, agora em fogo baixo, por 10 minutos. Abra a panela e vire cada pedacinho de carne e volte a tampar a mesma. Mais cinco minutos e abra novamente.

Pulo do gato: deixe que a carne frite até secar e dar uma grudadinha no fundo. Sim, dar a grudadinha é o pulo do gato. Quando ela já tiver criado uma casquinha marrom lá por baixo é hora de despejar aquela marinada que ficou para trás acrescentada de 300ml de água quente. Misture tudo até soltar aquele queimadinho delicioso do fundo da panela. Ajeite as carnes e então disponha as batatas e uns 3 raminhos de alecrim por cima. Tampe a panela e deixe em fogo baixo por 20 minutos.

Hora da Couve

Em outra panela de tamanho médio, coloque meio copo de água, duas colheres de açúcar e deixe esta mistura reduzir pela metade. Acrescente sua couve, tempere com sal, misture bem e cozinhe por dois minutos ou até a água secar. Sua couve está pronta.

Hora H

Depois dos 20 minutos do escalopinho cozinhar a sua batata também estará al dente. Com jeitinho, puxe a carne para cima delas e dê uma chacoalhadinha geral na panela. Se estiver quase sem caldo, pode acrescentar mais um copo de água quente e deixar no fogo baixo por mais 10 minutinhos.

Pegue os pratos, sirva a couve, os escalopes e as batatas. Regue com o caldinho que sobrou na panela e brinde com uma taça geladinha daquele vinho verde que restou na geladeira. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Cardápio Danada da Nanda - 5 a 9 de novembro




Delícias e mais delícias para a semana que vem!
Tem dois tipos novos de panquecas - maiores e únicas, de carne e vegetariana.
Tem para gregos e troianos
Bora lá?

Panquecão de carne, arroz integral e brócolis refogadinho
(Uma única panqueca de massa integral e tamanho grande recheada com carne moída, ovos cozidos e queijo muçarela. Arroz integral e brócolis acompanham)

Panquecão de espinafre, arroz integral e creme de cenoura
(Uma única panqueca de massa integral e tamanho grande recheada de espinafre, ovos cozidos e muçarela. Arroz integral e creme de cenoura acompanham)

Lagarto ao molho madeira com champignon, arroz integral e purê de batatas
(Fatias de lagarto cobertas com molho madeira e champignon, arroz integral e purê de batatas)

Frango de padoca, arroz integral e legumes refogados
(Coxa e sobrecoxa desossadas com aquele gostinho de domingo. Arroz integral e legumes refogados acompanham)

Pernil Louco, arroz integral e feijão branco
(Aquele pernil de sanduichinho de festa em sua marmita, sem gordura, e guarnecido por arroz integral e feijão branco)

Filé de frango com creme de milho, arroz integral e tomatinho recheado
(Filé de peito de frango coberto com creme de milho, arroz integral e tomatinho recheado)


Carninha moída “lá de casa” com cenoura, arroz integral e feijão preto
( Carne moída refogada com pedaços de cenoura, arroz integral e feijão preto)

Merluza a parmegiana, arroz integral e pirão de camarão
(Filé de merluza assado em leve camada de ovos e farinha de rosca e coberto com molho de tomate e muçarela. Arroz integral e pirão feito com camarão)

Escondidinho de Frango com Requeijão

Lasanha – Presunto, Queijo e Tomate Fresco



sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Receitinhas para por a mão na massa


Ah, a macarronada. Quanto amor. Quanto sabor. Quantas possibilidades. Eles podem ser compridinhos, amassadinhos, redondinhos, quadradinhos. Podem ser borboletas, gravatas, leves penas, pequenos tubos ou grandes cilindros. Recebem de corpo aberto molhos vermelhos, brancos, verdes e amarelos. Tão italianos, brasileiros e orientais. Macarrão não é paixão nacional, é muito mais, é universal.

E ontem foi o dia do macarrão. A pedido do site Tempo de Mulher, de Ana Paula Padrão, o qual sou colunista e colaboradora, escrevi quatro receitas de molhos para esta minha tentação. Sim, por mim, vivo de macarrão. Espaguete então, ah, me enrola toda em paixão.

Escrevi então três molhos a base de tomate e dois a base de leite. Descrevi com azeite e manteigas, afinal, estes deliciosos componentes também devem estar presentes em nossos finais de semana e dias de festa. Mas quem quiser fazer sem eles sabe que também dá, aliás, se quiser, é só me perguntar.

Elas seguem abaixo para vocês se inspirarem e neste final de semana cozinharem.

Boa Sorte,

Nanda


Molho ao sugo (4 pessoas)

1 litro de polpa de tomate
200 ml de água
1 cenoura grande
1 cebola grande
1 talo de salsão
1 colher de leite
Sal – o quanto bastar

Bater tudo no liquidificador, menos a cebola.
A cebola pode ser picada em pedaços pequenos e refogada no azeite. Depois de dourada basta derramar o molho no refogado e deixar apurar em fogo baixo por 20 minutos


Molho bolonhesa (4 pessoas)

800g de carne moída
2 colheres de sopa de azeite
200 ml de água
1 litro de polpa de tomate
200 ml de vinho tinto seco
1 cebola média picada
1 cenoura grande bem picadinha
1 talo de salsão picado bem fino
1 colher de leite
1 colher de chá de orégano
1 colher de chá de manjericão
1 raminho de alecrim
Sal – o quanto bastar

Despeje o azeite e a cebola na panela e refogue até dourar. Junte a carne moída e refogue até fritar. Junte a cenoura e o salsão picados e quando estiver tudo bem frito despeje o vinho tinto e espere que todo o álcool se evapore.
Junte o molho de tomate, a água, o orégano, o manjericão, o alecrim e o sal.
Ferva em fogo baixo por 25 minutos e sirva.


Molho de Calabresa Picante (4 pessoas)

500g de calabresa defumada
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola grande picada
1 talo de salsão picado
1 colher de chá de açúcar
1 colher de chá de nós-moscada
1 colher de chá de pimenta- calabresa
1 pitada de pimenta-do-reino branca
1 pitada de canela
2 cravos
200 ml de vinho tinto seco
200 ml de água


Deixe a calabresa fritar no azeite e na cebola até ficar bem moreninha.
Junte o açúcar e deixe que derreta. Em seguida, acrescente o salsão, a nós-moscada, a pimenta calabresa, a pimenta-do-reino branca, a canela e o cravo. Frite por 3 minutos e junte o vinho tinto. Quando secar é a vez da água e da polpa de tomate. Deixe ferver por 20 minutos, corrija o sal e sirva.


Molho de frango com requeijão

500g de peito de frango desfiado
800ml de leite
1 tablete de caldo de frango
200 ml de água quente
3 colheres de manteiga
1 cebola média picada
3 colheres de sopa de maisena
4 colheres de sopa de requeijão
1 pires de café de cebolinha picada
1 pitada de nós-moscada
1 pitada de pimenta-do-reino branca

Refogue o peito de frango desfiado na manteiga e cebola. Tempere com a nós-moscada e a pimenta-do-reino. Junte o caldo de frango dissolvido na água quente e em seguida coloque o leite. Deixe ferver. Engrosse o caldo com a maisena, junte o requeijão e corrija o sal. Depois de servir o molho na massa, decore com a cebolinha.



Molho branco com funghi secchi

3 colheres de manteiga
3 colheres de farinha de trigo
1 copo e meio de leite
1 cebola média picada
1 pitada de nós-moscada
1 pitada de pimenta-do-reino branca
200 ml de creme de leite

100g de funghi secchi
+ 1 colher de manteiga
1 tablete de caldo de legumes
300 ml de água quente
100 ml de vinho branco seco

Leve a manteiga para o fogo, derreta e refogue a cebola. Quando estiver dourada e despeje a farinha aos poucos. Mexa até misturar tudo. Aos poucos despeje o leite e vá desmanchando a bolota de farinha com manteiga formada anteriormente até que vire uma molho branco. Caso empelote, não exite, leve tudo ao liquidificador e volte ao fogo em seguida para apurar o molho branco.

Em separado, hidrate o funghi secchi em 300ml de água quente com o tablete de caldo de legumes por 15 minutos. Em seguida, escorra o funghi e refogue-o na manteiga e finalize com o vinho branco.

Em seguida, junte o molho branco, o creme de leite e o funghi, corrija o sal e sirva.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

II Festival de Gastronomia de Gonçalves: que maravilha!!!


Foi neste final de semana a primeira parte do II Festival de Gastronomia de Gonçalves, MG. Não é segredo minha paixão pela cidade e seus habitantes. O suspiro do fundo do meu peito foi uma declaração de amor contida mas bem percebida pelo marido, que para lá me levava. Quando avistei as montanha,s ainda em Corrego do Bom Jesus,.ouvi um "O que foi, meu amor?", perguntou ele. "É muito lindo", respondi eu. E assim, para mim, começou esta festa maravilhosa ainda na sexta-feira, 19 de outubro.

Neste mesmo dia foi feita a festa de abertura. O Adriano e seus alunos tocaram, a Marília discursou e agradeceu, as crianças da escola homenagearam a Mantiqueira, a Montanha que chora e aonde todos eles moram. E logo em seguida: cachaça da boa e muita comida em mini-porções nos brindaram em boas vindas.

Estava o Sauá com seu frango com feijão branco e uma estupenda farofa de amendoim. A Dona Vilma e seu porco que só sai da lata se for para arrasar corações. O restaurante Rosa Madeira levou a simpatia do chef Vitor e um delicioso Risoto Baião de Dois, e o Janela com Tramela uma porção maravilhosa de petiscos. E as meninas da Senhora das Especiarias me mataram de comer Narizinho e Gabriela. Explico: Gabriela: sorvete de creme servido com bolinhos de chuva e geleia de cravo e canela. Narizinho: Sorvete de iogurte com calda de frutas vermelhas, sucrilhos de chocolate e uma redução de founde de chocolate. Sem explicações, mil sensações.

Até eu participei. Fui convidada a fazer uma oficina. Tema escolhido: comidinhas sem adição de gordura, claro. Prato explicado: filé mignon suíno no vinho verde com batatas e couve doce. Afinal o tema do ano é Comidinha da Vovó. Foi uma delícia, divertido e descontraído.




E todos os outros representantes da cidade estavam la! Cantores, artistas, artesãos, cidadãos. Estes últimos então nem se fala. São os verdadeiros temperos da festa. Gente boa, de coração quente, frases irreverentes e temperos que...a se quiser imitar, nem tente!

A festa continua neste próximo final de semana. São barracas de comidas mineiras e contemporâneas, músicas de raiz e de rádio, manhãs de sol e noites de estrelas e muita alegria espalhada nas ruas daquela pequena cidade capaz de encher coração, mente e barriga!

:-)